Páginas

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

16 de novembro

O céu estava sem nuvens e as estrelas mais acentuadas. Uma noite perfeita. O vento conversava com as folhas das árvores e tentava chamar nossa atenção. Ele percebia, é claro. E dizia o tempo todo: “Eu não consigo entender o que você diz!” Eu sorria, nos olhávamos, e voltávamos a admirar as estrelas. Passamos algum tempo calados e então ele adormeceu. Mas só percebi quando ele aninhou-se a mim, não me deixando sair de lá. E eu, na verdade, tão pouco queria. Não era a primeira vez que o observava dormir, mas seu ar sereno chamou minha atenção. Passei então a não só admirar as estrelas, como a ele também. Ele estava tão lindo!
E parecia tão tranquilo e seguro, como se ali, comigo, fosse seu lugar, que eu sorri inconscientemente e o abracei, adormecendo pouco tempo depois.




Você é um sexo sorrindo no céu à noite. – Ele me disse dois dias antes.

Pamela.